Zia Stuhaug, autora de Anjo Russo, conversou com o Blog sobre o livro e muito mais, vem ver!

Estamos perto do fim de 2017 e nada melhor que ter no Blog um post super especial não acham? Deixei guardado por uns dias a sete chaves essa entrevista para quase fechar o ano com chave de ouro! <3

Apesar do nome, Zia Stuhaug é brasileira, compositora, poetisa e escritora de livro infantojuvenil bilíngue português/norueguês. Nasceu no Paraná e mora atualmente na Noruega com sua família. Em seu incrível curriculum, Zia já tem obras publicadas nos dois países e com o lançamento de Anjo Russo, seu romance de estréia, aproveitei para conversar rapidinho, partiu?

1- Zia, sua ligação com o universo literário não é nova, mas o que te fez mudar radicalmente do mundo infantil, com poesias, para um thriller policial?
Para mim, escrever é como puxar o ar e soltá-lo, e nesse respirar e expirar, ideias surgem através dos pensamentos, e estes formam palavras. Juntas, elas criam histórias. Às vezes para crianças; outras, para adultos. E eu não posso tolher essa capacidade de me mover de um universo a outro. Não há uma convenção que me diga que devo me limitar a um único gênero e estilo. Sou uma contadora de histórias. Posso transitar livremente pelas mãos da criatividade por todos os estilos que surgem na minha “fábrica mental” e transformá-las em  narrativas ficcionais — claro, respeitando o nível das palavras e cenas para cada idade. Escrever sobre um gênero não pode e não deve excluir outro. Um exemplo é o famoso escritor norueguês Jo Nesbø, do gênero scandi crime ou policial, que também escreveu  uma série de livros infantis sob o título Doktor Proktors, Doutor Proktor. Eu só fiz o caminho contrário.

2- A escolha do local da narrativa foi pensada visando a conquista do público local ou em dar uma visão ainda não conhecida pela grande maioria dos brasileiros?
Quando iniciei a escrita do Anjo Russo, eu não pensei muito em conquistar público local ou estrangeiro; aliás, eu nem imaginava a dimensão do alcance da obra. Eu queria escrever sobre o poder da amizade entre duas pessoas de nacionalidades diferentes. Como tenho uma amiga russa e ela sempre foi uma espécie de anjo para mim, presente e solícita o tempo todo, eu iniciei a escrita com essa intenção. Mas a trama saltou do primeiro capítulo para o segundo com uma tamanha força do personagem Mattias, que acabou dando uma reviravolta na minha imaginação e o enredo tomou outro rumo. A Escandinávia é um ambiente que estimula a imaginação de um grande público e está super na moda. Aliado ao fato de eu viver na Noruega há mais de uma década,  encontrei maior facilidade em usar o cenário que já me era familiar.   

3- Notei uma citação do mestre Stephen King. Ele tem alguma influência na narrativa de Anjo Russo? Quais autores mais te inspiraram a escrever?
A frase foi apropriada para o capítulo, por isso a citei, mas não me orientei pelas obras do autor para compor o  enredo do Anjo Russo, apesar de que um autor de suspense, de alguma forma, acabar sempre influenciando quem escreve algo do gênero.
 Os autores em quem me inspirei para compor a obra foram Alexandre Dumas, em O Conde de Monte Cristo, Stieg Larsson (Os homens que não amavam as mulheres) — inclusive, o sobrenome do Mattias foi em homenagem a ele —, e o norueguês Jo Nesbø (O Leopardo). 

4- Existe algum assunto sobre o qual você tenha vontade de criar uma história, mas tem receio de como seu público irá recebê-lo? Qual?
Não, este medo eu não tenho. Acho que todo assunto pode ser bem trabalhado, de forma a não escandalizar nem agredir quem se sinta incluído nele. Eu sempre digo que não é sobre o que contamos, mas do jeito que contamos é que faz toda a diferença.

5- Agradeço pela oportunidade desta entrevista e em poder ler seu livro, e gostaria de terminar perguntando qual a importância da conexão de blogueiros literários com os autores? Você acha que tem impacto direto na divulgação e venda dos livros?
Os blogueiros são parceiros muito importantes para o autor. São eles que nos ajudam a encontrar os leitores e aproximá-los da nossa obra. Com toda segurança, até pelo histórico bem-sucedido de outros autores, os blogueiros já provaram o poder que exercem na hora do leitor decidir a compra de um livro. 

Queria agradecer demais à Zia pela entrevista e simpatia e claro a LC – Agência de Comunicação pelo envio do livro o qual estará brevemente resenhado como também por tornar essa entrevista possível. Vocês são incríveis.

Ficaram curiosos sobre Anjo Russo? Confira abaixo os detalhes do livro

Na instigante obra, Liudmila, uma russa com cidadania dinamarquesa, é acusada e presa por um atentado. Enquanto isso, a alguns bons quilômetros dali, Mattias Larsen, homem frio e calculista, capaz de sentir afeto somente por um lobo domesticado que  adotou, ri e comemora a notícia iminente da morte de Elisa, esposa de seu patrão, Eirik Leiv.

Em busca de uma preciosidade denominada   “O Tesouro de Iduna”, Mattias percorre um caminho obscuro,  passando pela Escandinávia. Ali ele rouba o “Códice de Uppsala”,  manuscrito medieval islandês que inclui a versão mais antiga do Edda em Prosa, doado em 1669  à Biblioteca da Universidade de Uppsala pelo chanceler Magnus Gabriel de La Gardie ‒ o suposto favorecido do tesouro.

Com a combinação dos códigos em alguma parte desse Códice e de inscrições na Caixa de Freixo, o qual teria pertencido à Rainha Cristina da Suécia, (que teria elaborado o mapa do tesouro e ofertado tal presente a seu protegido da corte, Magnus Gabriel, no Século XVII), Mattias tem a certeza de que encontraria o tesouro.   Para tal,  revela-se disposto a eliminar todos que ousassem atravessar seu caminho e atrapalhar seu plano para pôr as mãos naquela fortuna incalculável ‒ inclusive Elisa.

A intenção de Mattias nunca fora repartir seu tesouro com ninguém e muito menos com ela. A grande ambição que sedimentava o seu coração, como flocos de neve que caíam do lado de fora do barco, o cegava, e ele estava disposto a tirar quem quer que fosse do seu caminho, para pôr as mãos naquele tesouro, custasse o que custasse. (p. 106)

Além de apresentar os costumes, curiosidades e tradições do país escandinavo, Zia cria em “Anjo Russo” uma incrível ambientação de suspense para prender os leitores em mínimos pormenores de uma investigação. Ao expor um enredo sobre descoberta, pertencimento, coragem e amor, a escritora também incentiva o interesse por diferentes culturas, além dos horizontes de territórios. Uma voz brasileira que vai além das terras de onde nasceu, e encanta pessoas dos mais diversos países.

 

Ficha Técnica
Autora: 
Zia Stuhaug
Título: Anjo Russo
ISBN: 9788565558310
Editora: Mais Que Palavras
Páginas: 248
Preço: R$ 32,00

You may also like

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *